Casa do Xadrez de Alpiarça subiu à 1ª Divisão Nacional !!!

casadoxadrezkabab@gmail.com
...............................Coordenadas GPS: Latitude: N39º15'43,4" . Longitude: W8º34'56,7"
Blog optimizado para o navegador (web browser) Mozilla Firefox.

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Crónica sobre xadrez nº 12

Wargames


O primeiro, mais antigo e mais nobre jogo que merece figurar com esta designação é decerto o jogo de xadrez. No entanto, entende-se por wargame, «jogo de guerra», uma simulação mais representativa de uma certa batalha, uma certa época com as suas especificidades bélicas. Por exemplo, com soldadinhos de chumbo que bastem (a pé, montados, e respectiva artilharia), é possível, recorrendo apenas a uma régua onde se marcam as distâncias de movimentação e de fogo, segundo certas regras de resolução dos combates (recorrendo ou não ao aleatório representado por um dado), reconstituir uma batalha napoleónica.

Os jogos que se referem a guerras mais actuais, representam unidades de tanques, de aviões (caças, bombardeiros, de ataque ao solo, ...), de artilharia, de infantaria, etc. Muitos jogos representam ainda as chefias (dão por exemplo mais pontos às unidades envolvidas em combate), ou as unidades logísticas (muitas vezes uma das mais importantes funções). Jogam-se sobre «tabuleiros» que são mapas dos cenários geográficos envolvidos, com as respectivas estradas (onde as tropas se movimentam mais depressa) e relevos (onde se movimentam mais devagar e a defesa tem vantagem). Regra geral jogam-se sobre malhas hexagonais, sendo as movimentações das peças definidas por número de casas que podem percorrer numa jogada (consoante a qualidade do terreno), estando o seu poder de fogo também definido em pontos de combate (combate que será depois resolvido aos dados). De duas a muitas horas, do mais simples ao mais complicado, são jogos emocionantes em que o jogador se sente na pele de um general face às decisões que tem de tomar, que irão afectar de forma irreversível o andar do conflito. Este tipo de jogo, para além de fazer as delícias do amante de história «bélica», refazendo-a sob os seus olhos, tem o mérito de ensinar coisas muito úteis: colocando o jogador perante a necessidade de discriminar positivamente a alocação de recursos necessariamente escassos, de deles conseguir extrair o melhor rendimento, é, tal como o xadrez, um óptimo instrumento lúdico de formação para a tomada de decisão. Hoje, as guerras são essencialmente económicas e os generais de que precisamos são empresários. Nada melhor para formar empresários do que treinar as pessoas para saberem decidir, para saberem combinar recursos, para saberem contar com a estratégia do «outro». Na «guerra» que se avizinha, a competitividade vai estar nas pessoas, na sua qualidade para reagirem de forma autónoma, e de saberem aproveitar as oportunidades que não deixarão de emergir nesse novo contexto geoeconómico. Há pois que investir nessa qualidade humana tão escassa e tão valiosa, que é a mentalidade do empresário. Por isso se recomenda a todo o candidato a empresário que não deixe de aprender a jogar xadrez.

by José Fernando in jornal "O Ribatejo", Junho 1998

.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Xadrez à borla na net ? Sim é verdade!



Clikem na imagem para aceder à página do FICS

Numa altura em que o mercantilismo tomou conta de tudo, é de realçar que o FICS (Free Internet Chess Server) continua fiel ao seu compromisso de proporcionar a prática de xadrez na Internet gratuitamente.
Para quem não sabe, nos primórdios da Internet existiu um servidor de xadrez (que presumo seja o actual ICC) em que se jogava xadrez gratuitamente.
Depois, surgiu uma facção que entendeu que o serviço que proporcionavam teria de ser pago. A outra, achava que a prática do xadrez devia ser gratuita.
Foi assim que nasceu o FICS, que mantendo-se fiel aos seus princípios mantém-se grátis, permitindo que os jogadores registados usufruam de todas as funcionalidades ,enquanto o ICC, que de início ainda permitia a qualquer um jogar partidas sem ranking, acabou com isso e agora só joga quem pagar.
O FICS permite jogar torneios de vários ritmos, assistir a toda e qualquer partida que se dispute, a utilizar o chat interno, a jogar torneios de equipas, assistir a aulas de xadrez, analisar partidas com companheiros em tempo real, etc, etc..
Para poder jogar mais fácilmente existem vários interfaces gráficos, sendo os mais utilizados: Winboard , Cclient, Babaschess, Thief, e mais uma lista enorme aplicável a máquinas que corram Windows, Mac, linux ou unix.
No meu entender, o mais bem conseguido é o Babaschess, sendo o Winboard um "todo-o-terreno" que acede a inúmeros servidores de xadrez, sem provocar incompatibilidades.




Screen do Babaschess
(clike para aceder à homepage)

Pergunto eu, que sou da parvalheira, para quê pagar para jogar xadrez, se o FICS proporciona tudo o que se pode querer para jogar pela Internet.
Com uma boa dose de imaginação pode dar-se aulas de xadrez à distância para os mais jovens.
É muito fácil carregar no servidor do FICS uma partida em PGN , analisá-la para vários assistentes, que no conforto do lar, poderão participar, assistindo ou colocando as suas questões.
No ICC vários GM's ofereciam esses serviços, pagando é claro. Mas porque não utilizar este servidor para intensamente e ao longo do ano preparar os mais jovens para mais altos vôos?
Garanto-vos que um colega meu, que só sabia mexer as peças, utilizando esta ferramenta, passou de <1000 style="color: rgb(51, 204, 0);" size="2">(eu... hehehehe) e ,por ter mudado de casa ficou sem net uns bons tempos. Depois ,foi tirar um curso superior, e ficou sem qualquer tempo livre para continuar a evolução.

Será que só o que custa dinheiro é que é bom ? Experimentem !


domingo, 28 de setembro de 2008

Justiça? Segurança?

Justiça? Segurança?

"O sr. Pinto da Costa vai ser indemnizado em 20 mil euros por ter estado três horas preso indevidamente. Primeiro, constato que ele «leva» muito mais caro que o deputado Paulo Pedroso, que esteve preso durante uns meses. Segundo, fico a pensar que, se fosse juiz, pensaria muito melhor antes de mandar prender, mesmo preventivamente,
uma pessoa destas. Terceiro, fico a pensar se será bom os juízes terem medo de prender, mesmo preventivamente, pessoas destas. Quarto, fico a pensar que se os juízes se «enganaram» a prender pessoas destas, quanto não se terão enganado a prender pessoas das outras. Quinto, fico a pensar quanto estaremos a dever a todas as pessoas das outras, que foram presas indevidamente mas não têm dinheiro para pagar a bons advogados para conseguirem indemnizações. E, sexto, fico a pensar que me daria jeito ser preso umas cinco horas antes do próximo Natal, desde que as indemnizações não contem para os impostos e que se arranje um advogado em conta. (...) "


Parte da crónica "Creolina" de José Pedro Gomes, ao jornal "Sexta" de 26/09/2008

É assim este País que temos.

Desta forma, a mim também me dava jeito ficar uma horitas preso antes do Natal... ;)

.

Santarém? Não Obrigado!

À semelhança do que acontece noutros torneios, em Vale de Cambra associaram a Casa do Xadrez a Santarém. É verdade que a maior parte dos jogadores nasceu e vive em Santarém.

No entanto, há muito que o pessoal renega que o nome da equipa pela qual nos batemos contenha "Santarém" no nome.
É uma velha história que vem dos tempos em que o Grupo de Xadrez de Santarém foi 3º classificado no Campeonato Nacional. Como "prenda" a Câmara de Santarém despejou o grupo do espaço que ocupava.
O último despejo ocorreu das instalações do Inatel, sem que a Câmara, tenha tido a mínima preocupação em arranjar uma solução, embora tivesse sido alertada do ocorrido.
Pouco antes tinham-nos sido prometido um espaço, (tendo sido inclusivé avançado com um local que era património da Câmara) que iria ser recuperado e cedido ao xadrez. Mas os políticos vão e vêm e o "prometedor" foi-se e nós ficamos... ainda pior !
Como estamos fartos de políticos e de mentiras, não queremos saber de Santarém para nada !
Temos o espaço que nos foi cedido pela Junta de Freguesia de Alpiarça e lá pretendemos continuar. É lá que nos sentimos bem !

Se pretendem associar a origem da equipa, coloquem ALPIARÇA, que esses sim são merecedores da citação.
De futuro só CASA do XADREZ, ou CASA do XADREZ/Alpiarça .... OK ?



sábado, 27 de setembro de 2008

Memorial Pedro Parcerias (parte II) - RESULTADOS

RESULTADOS
Antes de mais, endereçar os nossos sinceros Parabéns ao Albino Faria por oportunamente nos ter enviado os resultados do torneio.
Assim SIM ! Depois do excelente naipe de jogadores que a organização captou para o torneio, mostrou o respeito pelos adeptos ao enviar no próprio dia a tabela classificativa.

Resultados individuais AQUI
por equipas AQUI
e Cross Table AQUI

O Elo serve para medir a força dos jogadores, e o Tiviakov não admitiu surpresas e ganhou o torneio, com 1/2 ponto de vantagem sobre os perseguidores.

Os nossos papa-leitão são assim como o "Melhoral", que não faz bem nem faz mal, e três deles fizeram 5 1/2 pts, e o 4º fez 5 pts. Quem as pagou foi o pobre do leitão, onde mostrou que se no tabuleiro foi o último, com o prato e os talheres pede meças a qualquer adversário.
O nosso vizinho, e amigo Paulo Costa, que joga pela Académica de Coimbra fez também 5 1/2 pts o que atesta bem a força do torneio.


Resultados do Memorial Pedro Parcerias (parte I)

Sim, 'parte I' porque só vos vamos dar os resultados da malta da Casa do Xadrez por enquanto.
É só o que sabemos, uma vez que o Torneio não tinha site oficial.

O Carlos Nascimento, o Victor Ferreira e o Bruno Moreira fizeram cada um 5,5 pontos.
O Pedro Diogo, que ia mais com a cegueira do leitão, só fez 5 pontos .
Isto em 9 possíveis.
Assim, tendo em consideração que não somos profissionais e só treinamos mais às sextas-feiras, está muito bom.


Ainda de salientar que:

- o Bruno jogou uma das sessões contra um Grande Mestre. Perdeu mas vale sempre a pena !
- o Carlos Nascimento ganhou ao Mestre FIDE (MF) António Vítor.

Por equipas, a Casa do Xadrez ficou em 7º (com os mesmos pontos do 6º) entre 18 equipas.



Agora, como o Russo já deu a entender, estão a disputar outro Campeonato...

NHAM..NHAM, GLU..GLU
.

Gostava de ver quem ganhava aqui..



De volta deste bicho é que gostava de ver o Tiviakov e outros cromos.
O Pedro Diogo, Bruno Moreira, Carlos Nascimento e Victor Ferreira foram a Vale de Cambra com objectivos definidos. Ganhar o torneio ? Qual quê..
O grande objectivo da deslocação é ir mamar o Leitãozinho à Bairrada.
No ambiente gastronómico, os GM's somos nós, embora os nossos amigos da veterana equipa do Alverca sejam adversários dignos de registo. mais ao menos o Benfica-Sporting da gastronomia...
As fotos seguintes foram tiradas em 2007, quando num jogo dramático em que empatamos 2-2, ambas as equipas corriam o risco de descer de divisão.
Para isso acontecer, bastaria que o Montemor ganhasse pela margem mínima aos vizinhos da Académica de Coimbra.
Tal não aconteceu, mas à hora do jantar e embora não soubessemos se alguma das nossas equipas descia, a Sopa de Pedra de Almeirim, e outras iguarias não duraram muito...nem vi ninguém preocupado com o resultado do outro jogo.
Só lá por altura dos cafés e digestivos e que alguém se lembrou que eram duas equipas de xadrez.
Não se fiem nos cabelos brancos dos Alverquenses, e não pensem que vos comem todas as peças, mas nesta matéria é preciso estar atento
:)




Clikem para aumentar as fotos

Torneios de "rápidas das sextas-feiras" ...

Ontem - sexta - o Carlos Carneiro voltou a fazer-nos uma visita !
Estava com saudades de levar "porrada". Ah Ah Ah...




Aqui ficam os registos dos dois últimos torneios de "rápidas das sextas-feiras" que fizemos.

Classificação Final do Torneio 1

1º Carlos Carneiro
2º Bruno Moreira
3º Victor Ferreira
4º Pedro Diogo
5º Luís António
6º Pedro Vinagre


Classificação Final do Torneio 2

1º Bruno Moreira
2º Carlos Carneiro
3º Carlos Nascimento
4º Pedro Diogo
5º Miguel Barriga


.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

SOS - Colocação de professores e outras coisas...

Uma sátira inteligente à situação dos professores que são colocados em bairros parecidos com alguns de Bagdad, com a diferença que os professores não têm armas de defesa nem coletes à prova de bala. Alguns (pargas! Se não sabem o que é... vão ver ao dicionário Almerinense ) xadrezistas são professores e estão neste momento sob forte ataque do adversário, que não respeita as regras do jogo. É publicitando este vídeo a nossa forma simples de os homenagear.
No entanto, enquanto corria o vídeo, e perante algumas cenas, dei comigo a imaginar o filme, mas com um texto ligado ao xadrez.

Façam o exercício de imaginar alguns "sketchs":
  • O jovem, em vez de ir leccionar para a escola do Cerco, no Porto , era obrigado a ser profissional de xadrez em Portugal :)
  • A cena inicial lembrou-me um dirigente da FPX a consultar a classificação dos nossos jovens no recente Europeu de Xadrez
  • A nível local, tinha sido nomeado director da Casa do Xadrez, ou presidente da Associação de Xadrez de Santarém...
A cena seria semelhante, mas com muito mais lágrimas à mistura...é só questão de inventar o texto adequado.

Bem, façam o favor de ser felizes e lembrem-se que deve viver-se um dia de cada vez. É fim de semana e dia do Pai (*)

(*) Dia em que o pai bebe umas bujecas sem ninguém a chatear

Vejam o filme!

Amanhã: Vale de Cambra !

Amanhã o Carlos Nascimento, o Victor Ferreira, o Bruno Moreira e o Pedro Diogo (não sei se o Vinagre também vai) vão representar a Casa do Xadrez no Memorial Pedro Parcerias.

http://www.maisxadrez.com/eventos/?id=1941

É o ataque ao Norte, carago ! :))))


.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Brancas jogam e ganham a Dama em 4 lances !

Uma das minhas recentes partidas terminou com uma combinação engraçada.

Barriga vs Staneslav

1. e4 c5 2. d4 cxd4 3. c3 dxc3 4. Nxc3 d6 5. Bc4 Nf6 6. Nf3 Bg4 7. Bxf7+ Kxf7 8. Ne5+ Ke8 9. Nxg4 h5 10. Nxf6+ gxf6 11. Be3 Nc6 12. Qb3 b6 13. Rc1 Ne5 14. Nd5 Rc8 ?

As brancas jogam e ganham a Dama em 4 !



15. Nxf6+ exf6 16. Qe6+ 1-0 (16...Be7 17.TxT e ganha a Dama. Se 16...De7?? 17.TxT++)

Bonito, não foi ? :)

É o que se pode arranjar...

.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Já tenho parceiro para ir à pesca !!!


Tirado da revista da RPX nº2 e para não se rirem sempre do mesmo, aqui fica uma anedota do Bacrot ao lance 23...

Bacrot (2705) - Inarkiev (2684) [C68]
Ruy Lopez - C69
FIDE GP BakuAzerbaijão 2008

1.e4 e5 2.Nf3 Nc6 3.Bb5 a6 4.Bxc6 dxc6 5.0-0 Be7 6.Nxe5 Qd4 7.Nf3 Qxe4 8.d3 Qg4 9.Nc3 Be6 10.Re1 h6 11.h3 Qh5 12.Re5! g5 13.Ne2! Qg6 14.Ned4 Bd7 15.Qe2 f6 16.Ne6! Kf7 17.d4 Bd6 18.Nc5 fxe5 19.Nxd7 Qf5 20.Ndxe5+ Kg7 21.Nc4 Rf8 22.Nxd6 cxd6 23.Qe7+?? 0-1
(tem de se inventar outra forma de comentar as partidas. Quando alguém com mais de 2700 joga assim, 2 simples "??" não chegam. Devia ser algo : #$%&"//"/"//???? :) )





O vídeo desta partida não deixa dúvidas. Bacrot realiza a sua jogada muito concentrado e passado alguns segundos apercebe-se do que fez e desiste.

Bute à pesca pá !!!!

Partidas Imortais - Alekhine-Prat , París, 1913

O conhecido treinador de futebol José Mourinho costumava espicaçar os seus jogadores com bocas saídas na imprensa e presumívelmente atribuídas às cores adversárias. Os famosos Mind Games do Zé Mourinho.
A rapaziada que está em HERCEG NOVI (MONTENEGRO) precisava possivelmente de um treinador desse tipo para se superar. Em 12 jogadores raros são os que vão voltar com uma performance superior ao seu Elo. É assunto para reflectir...
Delegações anteriores, queixavam-se de que não tinham apoio, treinadores, etc..
Nesta delegação foram 3 treinadores, o que dividindo pelo numero de participantes dá um treinador por cada 4, o que parece mais que suficiente face às possibilidades do xadrez nacional.
É verdade que tem havido jogadores que se superam numa ou noutra partida, mas no geral não se pode dizer que esta delegação nos encha de orgulho.
Quem diz que não compete internacionalmente, o mínimo que se pode exigir é que nos torneios desse tipo que lhes são facultados façam as performances ditadas pelo seu ELO.
Performances substancialmente inferiores, será um bom motivo de reflexão e de análise, e gostaríamos que os relatórios da participação (se vierem a haver) fossem tornados públicos perante a comunidade escaquistíca.

Entretanto, aqui fica um jogo dos bons para se inspirarem:

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Torneio "for Portuguese"



Vocês acreditaram que o Miguel Barriga ia mesmo dedicar-se à pesca? Vejam a porrada que ele deu ao Rui Amendoeira, que tem 2017 FIDE . Um gajo que se vai dedicar à pesca tinha necessidade de fazer uma coisa dessas ao rapaz? Tornou-se moda o pessoal não abandonar quando vai levar mate em 1? Esperam que o relógio decida a partida ? É pá, mas era 1 lance a cada 15 dias...
O Miguel podia ter-lhe feito a pergunta final:
Queres Df7 ++ ou preferes Dg4 ++?

Nota: No servidor apresentam elos mais baixos, mas para verem que não são principiantes, publico a partida com os respectivos Elo FIDE.

[Event "for Portuguese"]

[Site "chesshere.com"]
[Date "2008.08.19"]
[Round "?"]
[White "Barriga,Miguel"]
[Black "Amendoeira,Rui"]
[Result "1-0"]
[BlackElo "1953"]
[WhiteElo "2017"]
[TimeControl "15 dias-Move"]

1. e4 e5 2. Nf3 Nc6 3. Bb5 a6 4. Ba4 Nf6 5. O-O Be7 6. d3 b5 7. Bb3 d6 8.
c3 Bg4 9. Re1 O-O 10. Nbd2 Re8 11. h3 Bh5 12. Nf1 Na5 13. Bc2 c5 14. Ng3
Bg6 15. Nh4 Nc6 16. Qf3 Qc7 17. Ngf5 Bf8 18. Bg5 Nd7 19. Bb3 Be7 20. Nxg6
hxg6 21. Bxf7 Kxf7 22. Nh6 Ke6 23. Qf7 1-0


Compilação Interessante - Frases do dia

Eh pá, não sei se gostariam que o nosso blog só falasse de xadrez... Mas nós somos assim. Gostamos de xadrez q.b, mas também gostamos de boas piadas. Às 6ª à noite, não sabemos o que mais apreciamos... se as piadas e bocas, se xadrez. Por isso, o nosso club é sempre um misto de xadrez com muita tonteira, e não há partida que não seja comentada. As regras da FPX e da FIDE aqui não se aplicam. Há muito riso, e por vezes alguma azia ! Sim, porque também temos pessoal que precisa de tomar, salvo a publicidade, Kompensan ou Pastilhas Rennie. Aqui fica uma compilação de coisas que recebemos. Esperamos que gostem.... se não gostarem, azar :)

O sexo é como uma estação de serviço: ás vezes recebe-se um serviço completo; outras vezes tem que se pedir para se ser atendido e há vezes em que temos que nos contentar com o self-service!

Um homem é como um soalho flutuante: Se for bem montado pode ser pisado durante mais de 30 anos.

As calorias são pequenos animais que moram nos roupeiros e que durante a noite apertam a roupa das pessoas.

Os problemas do nosso país são essencialmente agrícolas: excesso de nabos; falta de tomates e muito grelo abandonado.

O trabalho fascina-me tanto que ás vezes, fico parada a olhar para ele.

Casamento é um relacionamento a dois, no qual uma das pessoas está sempre certa e a outra é o marido.

A mulher está sempre ao lado do homem, para o que der e vier; já o homem, está sempre ao lado da mulher que vier e der.

Se fores chata as tuas amigas, perdoam;
Se fores agressiva as tuas amigas, perdoam;
Se fores egoísta as tuas amigas, perdoam;
Agora experimenta ser magra e linda... Tas lixada!



O amor é como a gripe, apanha-se na rua, resolve-se na cama...

O excesso de sexo provoca amnésia e outras merdas que agora não me lembro...

Os 'cornos' não existem! Isso são merdas que te colocaram na cabeça. Okey?

Portugal é um país geométrico: é rectangular e tem problemas bicudos discutidos em mesas redondas... por bestas-quadradas!

A diferença entre Portugal e a República Checa é que esta tem o governo em Praga e Portugal tem a praga no governo.

Não procures o príncipe encantado. Procura, antes, o lobo mau: ouve-te melhor, vê-te melhor e ainda te come.

Toda a gente se queixa de assédio sexual no local de trabalho. Ou isto começa a ser verdade ou então despeço-me...

A mulher do amigo é como a bota da tropa... também marcha!

O cérebro é um órgão maravilhoso. Começa a trabalhar logo que acordamos e só pára quando chegamos ao serviço.

O teu computador é como uma carroça: tem sempre um burro à frente!!!

As hierarquia são como as prateleiras, quanto mais altas mais inúteis.

Os trabalhadores mais incapazes são sistematicamente promovidos para o lugar onde possam causar menos danos: a chefia...

Qual a diferença entre uma dissolução e uma solução? Uma dissolução seria meter um político num tanque de ácido para que se dissolva.
Uma solução seria metê-los a todos.

O homem é o único animal que pode permanecer, em termos amigáveis, ao lado das vítimas que pretende comer, antes de comê-las.

A infidelidade e a devolução de um cheque resultam ambos da mesma situação: FALTA DE COBERTURA.

Chocolate não engorda, quem engorda é você.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Cantinho de Mestre Antonio Curado [ 005 ]

Sergei Tiviakov


Uma pequena homenagem a um GM, que provavelmente virá a Portugal, pela primeira vez, jogar o XIX Torneiro de Vale Cambra, Memorial Pedro Parcerias. Além de ser um dos 100 melhores jogadores do planeta, tem a particularidade de fazer boas e interessantes reportagens pelos lugares onde tem jogado, com paladino e cavaleiro itinerante, em prol da defesa da sua dama, o xadrez.
Sergei Tiviakov, nasceu a 14 de Fevereiro de 1973 em Krasnodar, antiga União Soviética e está naturalizado holandês, é Grande Mestre e foi campeão mundial de sub-16 e sub-18. Actualmente é o Campeão Europeu, ocupa o 79 lugar do “ranking” FIDE, tendo já ocupado o 27º posto. Tem duas publicações sobre xadrez.
  • Sicilian Defence with 2.c3 - Alapin Variation
  • The Maroczy System
Entre as lendas da cavalaria da Idade Média e num universo das melhores gestas arturianas, todos nós, nos recordamos das aventuras do Rei Artur e os Cavaleiros da Tavola, de Sir Lancelote e a Dama do Lago, Percifal e a demanda do Graal, heróis e histórias de venturosos cavaleiros que povoaram a nossa adolescência. No entanto poucos deverão ter lidos as aventuras de Sir Gwdaine e o Cavaleiro Verde, e muito menos as versões holandesas da gesta arturiana com grande relevo para os romances de cavalaria onde o principal heroi, foi Roman van Walenweise, pela pena de Penninc e Pieter Vostaert, que utilizando referências do século XIV, na língua nativa, construíram verdadeiras epopeias sobre a cavalaria da Tavola Redonda com três historias em 11202 versos, em holandês antigo chamado diets(ch) ou duits(ch); Walenweise e o Xadrez Voador, Walenweise e a Dama Hororosa, Walenweise e a Espada dos dois Anéis. As versões, holandesa, francesa e inglesa, misturam por vezes o nome do cavaleiro, sendo conhecido por Walenweise, Walwanius, Gawain, Gauvan, Gawan, sempre precedido do titulo de Sir ...

Provavelmente a BD – Príncipe Valente foi inspirada nas aventuras deste cavaleiro.
Nas versões portuguesas das histórias arturianas, era comum traduzir o nome da personagem para Galvão e precedê-lo pelo título Dom.
É no entanto desconhecido até agora, a existência de qualquer tradução de contos, onde o herói principal seja, Walenweise.
Este cavaleiro é muitas vezes descrito como sendo sobrinho do rei Artur filho de Morgause e irmão de Gaheris, Gareth, Agravaine e Mordred. Possuía um comportamento muito irritadiço e era muito belicoso e tem uma peculiaridade que lhe permite ganhar força física no período que vai das nove da manhã até ao meio-dia.

Sir Gawain é personagem da saga do Rei Arthur e a Távola Redonda, e seu nome é citado pela primeira vez na História regum Britanniae (História dos Reis da Bretanha) - 1136 -, de Geoffrey de Monmouth, onde é chamado Walwanius, e tido como sobrinho do próprio Rei Arthur, e na história de Guilherme de Malmesbury (por volta de 1120), onde se fala do descobrimento de seu túmulo no Castelo de Walwyn, em Pembrokeshire. Nas palavras de Chrétien de Troyes, um dos autores de livros sobre a Távola Redonda: \"À frente de todos os cavaleiros, deve ir o primeiro: Gawain\". Ou ainda, nas palavras de Wace, cronista da corte dos Plantagenetas: \"Grande foi sua nobreza e estatura; não houve nele presunção nem arrogância; fez mais do que contou e deu mais do que prometeu\". A edição canônica de \"Sir Gawain\" foi publicada por Tolkien (o mesmo de O Senhor dos Anéis) juntamente com E. V. Gordon (Oxford, 1952). Neste livro são apresentadas três histórias sobre Sir Gawain, da Távola Redonda, retiradas de edições modernas que seguem rigorosamente a essência dos originais, compiladas pelos mais criteriosos especialistas em história e literatura medieval.

.................................0

Manuscrito e selo holandês de 1966

Vem isto a propósito da última descoberta na temática de Xadrez de um selo holandês de 1966 sobre as referências literárias da Holanda, que apresenta um excerto de um pergaminho circa 1350, onde se vê um cavaleiro medieval. Procurando a imagem desse pergaminho deparei-me com o pormenor de um pouco acima do cavaleiro, haver um tabuleiro de xadrez com 6 x8 casas e mais tarde com as histórias de Roman van Walenweise. O primeiro dos contos, Walenweise e o Xadrez Voador, começa quando no castelo de Camelot, estando a corte do rei Artur reunida, entrou por uma janela, voando, um tabuleiro de xadrez com as respectivas peças dispostas para se iniciar uma partida. Pairando de modo desafiante em frente dos cavaleiros, convidava a iniciar uma partida de xadrez. Como nenhum dos cavaleiros ousasse aceitar o desfio, o tabuleiro voador esgueirou-se novamente pela janela, deixando os cavaleiros atónitos e incrédulos. O rei Artur depois do tabuleiro ter desaparecido, manifestou o desejo de possuir tão precioso conjunto e decretou que após a sua morte, seria rei no trono de Avalon, o cavaleiro que lhe trouxesse tão cobiçada joía, e assim se inicia a aventura.

Coimbra, 2008-09-21 ________António Mendes Curado


Crónica sobre xadrez nº 11

À conversa com um campeão

Decorreu no ultimo fim de semana em Vila Nova da Barquinha o Campeonato da II Divisão da Zona Centro, no qual participou o Grupo de Xadrez de Santarém. Com dez equipas participantes, estava em disputa apenas um lugar de promoção de divisão, enquanto o perigo de despromoção espreitava às cinco ultimas equipas classificadas. Foi a Associação Académica de Coimbra quem finalmente subiu de divisão, frustrando as expectativas de retorno alimentadas pelo Riomaiorense, que acabou classificado no segundo lugar. O Grupo de Xadrez de Santarém, ao garantir o quinto lugar, logrou manter-se na II Divisão. O Grupo jogou com os seus mais jovens jogadores, sem grande experiência de competição, pelo que o resultado é animador, tendo mesmo merecido um elogiou dos veteranos do Riomaiorense, que afirmaram que com um pouco mais de trabalho, se conseguiria ir muito mais longe.

Mas fazendo jus ao título: o cronista (que serviu apenas de motorista à equipa), sempre ávido de alimento para a sua crónica, muito folgou com uma interessante conversa sobre xadrez que manteve com Diogo Alho, que foi campeão de Portugal de Sub 16 (quando tinha apenas 14 anos) e que jogou o mundial desse escalão. O Diogo é natural de Torres Novas, onde jogou na Zona Alta. Tem agora 22 anos e estando a estudar em Coimbra, joga pela Académica, tendo sido o principal reforço desta equipa (e sem menosprezo para os outros jogadores, foi quem permitiu que a Académica subisse). Académica que já convidou o Bruno (que participou neste Campeonato pelo Grupo de Xadrez de Santarém e também está a estudar em Coimbra) para fazer parte da sua equipa: é a desforra do Grupo, que não subindo de divisão, passará no entanto a dispor de um seu ex-jogador a jogar na Primeira Divisão.

Junto do Diogo, que se mostrou um bom conhecedor dos meandros do xadrez nacional, tentámos apurar uma visão de conjunto, em termos de competitividade internacional, do «xadrez português». Mas poderemos falar de um «xadrez português», de uma identidade específica do jogador português? Haverá alguma coisa que de um modo geral diferencie um português em relação aos demais? Eis o que nos preocupou. Colocando-nos quase numa perspectiva de empresários: quais as potencialidades e as deficiências do estilo português ? É que em cada virtude existe um defeito equivalente: o segredo está em saber promover a virtude e abafar o defeito. A nossa interessantíssima conversa estendeu-se por vários factores que condicionam o desenvolvimento da modalidade no nosso país, e o que de positivo tem vindo a ser ou pode ser feito em prol da sua divulgação e melhoria de qualidade.

Pois é, está-se mesmo a ver que a conversa propriamente dita terá de ficar para a semana, pois já não caberia nesta caixa. Entretanto já abrimos o apetite.

P.S.: Circulando em Lisboa, atentou o autor desta crónica num desses graffitis murais bastante coloridos e que dizia: «Life is like... a game of chess Esta crónica está mesmo a pedir uma imagem para ver se anima.

by José Fernando in jornal "O Ribatejo", Junho 1998

:

domingo, 21 de setembro de 2008

Santarém: Camp. Distrital Semi-Rápidas 2008

O G.X Torres Novas (colectivamente) e o Luís António (individualmente) sagraram-se ontem Campeões Distritais de Semi-rápidas.

O Luís António fez 5 em 5 pontos e portanto merece os PARABÉNS um elogio da Casa do Xadrez. Aqui fica uma coroa e uma medalha !

Quem é amigo quem é ?

Um agradecimento especial ao Paulo Costa pela organização de mais esta prova distrital. É dos poucos (se não o único) que actualmente LUTA contra o fim do xadrez no Distrito.

Desde que a presidente da Associação de Xadrez de Santarém - Rita Morte - simplesmente desapareceu de cena o Paulo é o único que, por gosto, não deixou morrer o Xadrez no Distrito. Quanto à Rita, ela nunca se dignou a apresentar a demissão oficialmente. Simplesmente se limitou a desistir e desaparecer. Sim, porque nós sabemos que ela está vivinha "da silva", quero dizer, que o seu desaparecimento não teve nada a haver com questões (maiores) de saúde.


(imagem de arquivo dos dois visados + "o emplastro")

.

Pedimos desculpa pelo lapso



O Miguel Barriga não tem acesso à net este fim de semana, mas telefónicamente pediu-me para rectificar o artigo de ontem.
Por um terrível lapso as fotos foram trocadas. Aquelas fotos eram duns tó-tós que estavam a pescar perto.
Aqui ficam as verdadeiras fotos da pescaria.



Como não temos nada de importante para dizer sobre xadrez...

sábado, 20 de setembro de 2008

Dediquei-me à pesca...

Seguindo os conselhos sábios de alguns, de vez em quando dedico-me à pesca...
Esta foi uma dessas noites.
Uma pescaria com uns amigos que rendeu meia dúzia de peixinhos (entre robalos, bailas, ferreiras e sargos) a cada um.
Nada mau porque normalmente há grade ! ;)







Qualquer dia troco mesmo o xadrez por isto !

.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Africa e Asia mostram aos CTT como é !

Este artigo é especialmente para os olhos do nosso amigo António Mendes Curado, eminente coleccionador de motivos de xadrez (selos, calendários, postais,peças, tabuleiros,livros) e vou revelar aqui uma curiosidade, até de um livro adquirido no País vizinho e que estaria assinado a verde pelo Sr. Bobby Fischer.
O A. M. Curado é provavelmente um dos maiores coleccionadores sob o tema xadrez da Península Ibérica.
Este vai ser provavelmente o post mais longo em tamanho, pelas imagens, mas vai mostrar que Paises ditos do 3º Mundo prestam homenagem filatélica ao xadrez.
Países como a Guiné Bissau, República Sahariana, Vietname, Afeganistão, Benim e muitos outros, em que os Inspectores dos seus Correios não se reformam com mais de 8000 euros (tinha de mandar esta boca!!!) e Administradores não pagam; mais de 500.000 euros por uma palestra de pouco mais de uma hora (ainda que fossem 63625536266 horas!!!) dada por um treinador de futebol, conseguem fazer estas bonitas edições.
É melhor parar por aqui e colocar as fotos dos selos antes que comece a escrever aqui todos os escândalos da politica portuguesa e então deixa de ser o blog da Casa do Xadrez e passa a ser a exposição da falta de vergonha da politica portuguesa !
Estas colecções de selos estão à venda no Miau.pt.















Fotos retiradas daqui