Casa do Xadrez de Alpiarça subiu à 1ª Divisão Nacional !!!

casadoxadrezkabab@gmail.com
...............................Coordenadas GPS: Latitude: N39º15'43,4" . Longitude: W8º34'56,7"
Blog optimizado para o navegador (web browser) Mozilla Firefox.

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Nalchik R12: Aronian foi apanhado por Leko na liderança


r12


Aronian empatou e Leko castigou Kasimdzhanov.

Na última ronda, Aronian e Leko vão lutar directamente pelo título de vencedor do 4º Grand Prix em Nalchik.

Akopian e Gelfand: empate em 12 lances.

Mamedyarov vs. Eljanov: « the beloved Ragozin and therefore deviated with the surprising 5.a3!?. Eljanov quickly went wrong with 13…c6? (13…Nf8 is my recommendation) and after 14.e6! it was clear that the Ukrainian would have a tough day. » By IM Robert Ris


Partidas da ronda 12...



kamsky-aronian

Kamsky: "This is why I play chess."


Grischuk vs. Bacrot: Benoni

Ivanchuk vs. Alekseev: Siciliana Rauser


karjakin-svidler

Karjakin vs. Svidler


Karjakin vs. Svidler: Espanhola "Zaitsev" .

FIDE Grand Prix Nalchik 2009 | Classificação





1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 1 2 3 4

1 Leko,P 2751 +58 *
½ ½ 1 ½ ½ ½ ½ ½ 1 ½ ½ 1 7.5/12 43.00
2 Aronian,L 2754 +55
* ½ ½ 1 0 ½ ½ 1 ½ ½ 1 1 ½ 7.5/12 42.75
3 Grischuk,A 2748 +4 ½ ½ * 1 ½ ½ 1 0 0
1 ½ 0 1 6.5/12 39.50
4 Alekseev,E 2716 +38 ½ ½ 0 * ½ 1
½ ½ ½ ½ 1 ½ ½ 6.5/12 38.25
5 Akopian,V 2696 +63 0 0 ½ ½ * 1 1 1 ½ ½ ½
½ ½ 6.5/12 37.25
6 Karjakin,S 2721 +3 ½ 1 ½ 0 0 * 0 1 ½ 1
½ ½ ½ 6.0/12 36.00
7 Bacrot,E 2728 -2 ½ ½ 0
0 1 * ½ 1 ½ ½ ½ ½ ½ 6.0/12 35.00
8 Kamsky,G 2720 -25 ½ ½ 1 ½ 0 0 ½ * ½ 1 ½ 0
½ 5.5/12 33.75
9 Mamedyarov,S 2725 -26 ½ 0 1 ½ ½ ½ 0 ½ * 1 0 ½ ½
5.5/12 33.25
10 Svidler,P 2726 -31 ½ ½
½ ½ 0 ½ 0 0 * ½ 1 1 ½ 5.5/12 32.75
11 Gelfand,B 2733 -37 0 ½ 0 ½ ½
½ ½ 1 ½ * 0 ½ 1 5.5/12 31.75
12 Eljanov,P 2693 +8 ½ 0 ½ 0
½ ½ 1 ½ 0 1 * ½ ½ 5.5/12 31.75
13 Ivanchuk,V 2746 -80 ½ 0 1 ½ ½ ½ ½
½ 0 ½ ½ * 0 5.0/12 31.00
14 Kasimdzhanov,R 2695 -25 0 ½ 0 ½ ½ ½ ½ ½
½ 0 ½ 1 * 5.0/12 29.50


Links .

Campeonato Nacional por Equipas 2008/2009 - Fim de semana "gordo"! São as últimas três sessões !

.

Quem sobe ? Quem desce ? Quem mantem ? Tudo será decidido nesta jornada tripla.

São as últimas três sessões desta Série "C" do 51º Campeonato Nacional por Equipas.


Ronda 5 a 2009/05/01 às 15:00

CX Sintra - AA Amadora II
GX Alekhine - Clube Operário Desportivo

Universidade dos Açores - Casa do Xadrez

GX Peoes Alverca - CX Lagoa


Ronda 6 a 2009/05/02 às 15:00


CX Lagoa - Casa do Xadrez

AA Amadora II - Universidade dos Açores

GX Peoes Alverca - Clube Operário Desportivo

GX Alekhine - CX Sintra


Ronda 7 a 2009/05/03 às 10:00


Universidade dos Açores - GX
Alekhine
CX Lagoa - AA Amadora II

Casa do Xadrez - GX Peoes Alverca

Clube Operário Desportivo - CX Sintra






(Click na imagem para a aumentar...)


A três jornadas do fim, a Casa do Xadrez segue em 4º lugar. A competição está renhida entre as 4 primeiras equipas. Tudo pode acontecer !

Mas uma coisa podem ter a certeza! Jogando a Casa do Xadrez em casa na última jornada com os Peões de Alverca, de certeza que haverá almoçarada "rija" (já que será uma última sessão "matinal").

.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Nalchik Ronda 11: Aronian continua à frente


Kasimdzhanov vs. Aronian : uma Meran...

Eljanov-Leko: e outra Meran.

Jogos da ronda 11...


Ivanchuk vs. Grischuk: India de Rei contra Bayonet Attack...

Bacrot - Karjakin: Najdorf...

Gelfand vs. Mamedyarov: 18.Nf3!?

Alekseev-Kamsky : um jogo muito equilibrado.

Svidler jogou uma linha muito pacifica da Ruy Lopez contra Akopian.


FIDE Grand Prix Nalchik 2009 | Após ronda 11...





1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 1 2 3 4

1 Aronian,L 2754 +63 *
½ ½ 1 ½ ½ 0
1 ½ ½ 1 1 7.0/11
2 Leko,P 2751 +35
* ½ ½ 1 ½ ½ ½ ½ ½
1 ½ ½ 6.5/11
3 Alekseev,E 2716 +39 ½ ½ *
½ 0 ½ 1 ½ ½ ½ ½ 1
6.0/11 32.50
4 Bacrot,E 2728 +27 ½ ½
* 0
½ 1 ½ 1 ½ ½ ½ ½ 6.0/11 31.75
5 Akopian,V 2696 +65 0 0 ½ 1 * ½ ½ 1 1 ½ ½

½ 6.0/11 31.75
6 Grischuk,A 2748 -25 ½ ½ 1
½ *
½ 0 0 1 1 ½ 0 5.5/11 30.75
7 Svidler,P 2726 -2 ½ ½ ½ ½ ½
*
0 0 ½ ½ 1 1 5.5/11 30.25
8 Karjakin,S 2721 -27 1 ½ 0 0 0 ½
* 1 ½ ½
½ ½ 5.0/11 27.75
9 Kamsky,G 2720 -30
½ ½ ½ 0 1 1 0 * ½ ½ ½ 0
5.0/11 27.75
10 Mamedyarov,S 2725 -25 0 ½ ½ 0 ½ 1 1 ½ ½ *
0
½ 5.0/11 27.50
11 Kasimdzhanov,R 2695 -1 ½
½ ½ ½ 0 ½ ½ ½
* 0 ½ 1 5.0/11 27.25
12 Gelfand,B 2733 -37 ½ 0 ½ ½
0 ½
½ 1 1 * 0 ½ 5.0/11 27.00
13 Eljanov,P 2693 +6 0 ½ 0 ½
½ 0 ½ 1
½ 1 * ½ 5.0/11 26.25
14 Ivanchuk,V 2746 -85 0 ½
½ ½ 1 0 ½
½ 0 ½ ½ * 4.5/11


Links

.

Resultados da Casa do Xadrez no XII Torneio Rotary da Benedita


Realizou-se no passado fim de semana o XII Torneio Rotary da Benedita. Rex Blalock, da AA Amadora, venceu o torneio com 6 pontos em 7 possíveis. Os mesmos pontos que obtiveram também Alexandre Quadrio (GD Carris), Iskren Dzhambazov (AX Benedita) e Luís Alves (GD Carris).

A Casa do Xadrez esteve presente com vários jogadores, sendo a classificação entre os 79 participantes, a seguinte:



Costa PauloPOR2205Casa do Xadrez5,50,022,52084


Antonio LuisPOR1962Casa do Xadrez5,00,025,01964

20º
Bento JoaoPOR1250Casa do Xadrez4,50,015,51589

23º
Fernandes PorfirioPOR1699Casa do Xadrez4,00,018,01644

42º
Fernandes XavierPOR1150Casa do Xadrez3,50,012,51360



A classificação final completa pode ser consultada AQUI !


.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Nalchik Ronda 10: a Petroff finalmente foi vencida - Viva a Petroff !


r10


Aronian está ainda isolado no comando com 0,5 ponto à frente de Leko.


Partidas da ronda 10...



Aronian-Eljanov

Aronian vs. Eljanov


Evgeny Alekseev vs. Alexander Grischuk: Discutiram uma das linhas clássicas da Nimzo-India.

Peter Leko bateu a Petroff – uma coisa muito rara!

Gata Kamsky vs. Rustam Kasimdzhanov: outra Petroff mas aqui Kamsky não teve tanta sorte como Leko.


Akopian-Bacrot

Vladimir Akopian


Vladimir Akopian vs. Etienne Bacrot: 1-0; A abertura foi uma Dragão acelarada.

Mamedyarov-Svidler : «was a very complicated, unclear game, typical of Shabalov’s 7.g4!? line in the Anti-Meran. »


FIDE Grand Prix Nalchik 2009 | Classificação após ronda 10





1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 1 2 3 4

1 Aronian,L 2754 +76 *
½ ½ 1 1 0 ½ ½

1 ½ 1 6.5/10
2 Leko,P 2751 +45
* ½ ½ 1 ½ ½ ½ ½ ½

1 ½ 6.0/10
3 Grischuk,A 2748 +7 ½ ½ * 1 ½ 0 ½

0 1 ½ 1
5.5/10 27.75
4 Alekseev,E 2716 +43 ½ ½ 0 * ½ ½ 1
½
½ 1 ½
5.5/10 27.75
5 Akopian,V 2696 +69 0 0 ½ ½ * ½ 1 1
1 ½

½ 5.5/10 26.50
6 Mamedyarov,S 2725 +5 0 ½ 1 ½ ½ * ½ 0 1 ½


½ 5.0/10 25.50
7 Karjakin,S 2721 +3 1 ½ ½ 0 0 ½ *

1 ½ ½
½ 5.0/10 25.50
8 Bacrot,E 2728 -4 ½ ½

0 1
* ½ ½ ½ ½ ½ ½ 5.0/10 24.25
9 Svidler,P 2726 0 ½ ½
½
0
½ * 0 ½ 1 ½ 1 5.0/10 23.75
10 Kamsky,G 2720 -33
½ 1
0 ½ 0 ½ 1 * ½ 0 ½
4.5/10 22.75
11 Kasimdzhanov,R 2695 -7

0 ½ ½
½ ½ ½ ½ * ½ 0 1 4.5/10 21.00
12 Eljanov,P 2693 0 0
½ 0

½ ½ 0 1 ½ * 1 ½ 4.5/10 20.25
13 Gelfand,B 2733 -75 ½ 0 0 ½


½ ½ ½ 1 0 * ½ 4.0/10
14 Ivanchuk,V 2746 -131 0 ½

½ ½ ½ ½ 0
0 ½ ½ * 3.5/10


Links

.

José Sócrates: No Comments...

segunda-feira, 27 de abril de 2009

A subjectividade do valor

Olá a todos os frequentadores do blog. O Miguel continua a lembrar-me as obrigações assumidas e a solicitar colaborações aqui, nem que a título pontual. Cá vai portanto. Por causa da ideia da filatelia (selos e xadrez) como motivo gerador deste meu cronicar (alguém que esteja a ler em voz alta ainda pensam que é asneira), lembrei-me de vos escrever uma crónica com base numa conversa que tive com o Gamelas.


Durante muitos anos, o Gamelas, por causa da sua queda para o xadrez, coleccionou selos de xadrez, chegando a ter uma avença com o negociante em filatelia SSS (de quem o Manuel Martinho, néofito nestas andanças, também é actualmente cliente), Sérgio Sousa Simões, das Caldas da Rainha, para receber as novidades em selos do mundo inteiro relacionados com a temática do xadrez; naquela altura considerava o dinheiro que gastava por gosto, também como um investimento; actualmente, o Luís Frazão segue-lhe os passos, ainda há pouco tempo o vi no Sr. Joaquim, no Largo Padre Chiquito, onde aos quartos sábados de cada mês se realiza uma feira de antiguidades e coleccionismo, a adquirir uma carta circulada relacionada com este tema.



Comentei com o Gamelas que o «valor» dos selos de colecção tinha também sofrido um rude golpe com a crise, embora já tenham sido considerados como valores de refúgio. Por exemplo: agora que estou a escrever esta crónica 17h30, fui ao Ebay, um site de leilões, escolhi a categoria «Stamps» e fiz uma pesquisa por xadrez. Ordenando por «ending soonest», os próximos a fechar, obtive uma peça dos primórdios da temática, que, nos tempos «fortes» valeria sempre para cima de 5 a 10 euros. Com dois licitadores, a peça nem sequer tinha atingido o dólar, ou seja, fica por menos de oitenta cêntimos!


Tecemos depois vários comentários sobre a subjectividade do valor… fizemos uma analogia com o mercado imobiliário: tal como nos selos, há uma espécie de valor de catálogo; só que, se a pressão fica do lado da oferta (por efeito dominó dos muitos deficits acumulados em todo o sistema), o preço baixa, com tendência agravante muito para baixo da barreira do seu «valor», devendo ser multiplicados os factores que se prendem com a «confiança» em torno do conceito. O dinheiro encarece... ou as coisas baixam? Por outro lado, a considerar o tempo como factor, nunca o dinheiro esteve tão barato! Que aparentes contradições. Por isso, se tiverem poupanças, não as entreguem aos bancos! Façam-se mercadores da pechincha, façam negócios da China!

P.S. Mas não pensem que todas as temáticas estão pela hora da morte. Tal como tudo, depende de modas. Que o diga o António Curado, que investiu bem, porque acertou na onda: Aves de Rapina!
.

4º FIDE Grand Prix: Ronda 9



Evgeny Alekseev


Foi mais uma excelente ronda de luta em Nalchik. Evgeny Alekseev partilha agora o 1º lugar depois de uma boa vitória sobre Sergey Karjakin. Gata Kamsky bateu Grischuk de negras, e Etienne Bacrot ganhou finalmente um jogo após 8 empates!


Partidas da ronda 9



Bacrot and Mamedyarov at the press conference

Bacrot e Mamedyarov


FIDE Grand Prix Nalchik 2009 | Classificação após a ronda 9





1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 1 2 3 4

1 Alekseev,E 2716 +84 * ½ ½ ½
1
½ 1
½ ½ ½
5.5/9 25.00
2 Aronian,L 2754 +51 ½ *
½ ½ 0 ½ 1

½ 1
1 5.5/9 23.50
3 Leko,P 2751 +12 ½
* ½ ½ ½ ½ 1
½
½
½ 5.0/9 22.25
4 Svidler,P 2726 +38 ½ ½ ½ * ½


1 0 ½
½ 1 5.0/9 22.00
5 Bacrot,E 2728 +37
½ ½ ½ *


½ ½ ½ 1 ½ ½ 5.0/9 21.50
6 Karjakin,S 2721 +1 0 1 ½

* ½ 0 ½ 1
½ ½
4.5/9 20.50
7 Grischuk,A 2748 -27
½ ½

½ * ½ ½ 0 1 0 1
4.5/9 20.00
8 Akopian,V 2696 +34 ½ 0 0

1 ½ *
1
½ ½ ½ 4.5/9 19.00
9 Eljanov,P 2693 +32 0

0 ½ ½ ½
* 1 1
½ ½ 4.5/9 18.50
10 Kamsky,G 2720 -34

½ 1 ½ 0 1 0 0 * ½ ½

4.0/9 18.50
11 Gelfand,B 2733 -46 ½ ½
½ ½
0
0 ½ *
1 ½ 4.0/9 18.00
12 Mamedyarov,S 2725 -32 ½ 0 ½
0 ½ 1 ½
½
*
½ 4.0/9 17.75
13 Kasimdzhanov,R 2695 -10 ½

½ ½ ½ 0 ½ ½
0
* 1 4.0/9 17.50
14 Ivanchuk,V 2746 -144
0 ½ 0 ½

½ ½
½ ½ 0 * 3.0/9


Links

.

A Máquina de Xadrez

.

Baseado em factos verídicos, A Máquina de Xadrez é tanto um romance histórico como um thriller empolgante. Por volta de 1770, o barão Wolfgang von Kemplen tenta conquistar o favor da imperatriz austríaca Maria Teresa, apresentando em Viena um autómato vestido como um turco e pretensamente inteligente, capaz de derrotar os melhores jogadores de xadrez. De facto, no interior da máquina, um verdadeiro prodígio mecânico, esconde-se Tibor, o anão que Kemplen resgatou dos calabouços de Veneza. Depressa o Turco se torna famoso por toda a Europa, até que, nas celebrações do casamento de Maria Antonieta e Luís XVI, uma baronesa é encontrada morta em misteriosas circunstâncias.




Mais detalhes sobre este novo livro e alguns comentários já recebidos, no site da Editorial Presença.


.

domingo, 26 de abril de 2009

João Guerra e Costa ganhou o Campeonato Nacional Universitário


João Guerra e Costa ganhou o Campeonato Nacional Universitário com um ponto e meio de vantagem sobre a concorrência.

O mundial da modalidade terá lugar na Suíça; ainda não se sabe se Portugal estará representado.

extracto da Classificação Final:

João CostaU.Porto5.5
Fábio BarbosaU.Porto4
André VielaU.Porto4
Marco VielaIPP4
Paulo MoraisU.Porto4

Torneio de Xadrez da Queima das Fitas 2009

.

Este torneio terá lugar no Centro Comercial Dolce Vita – Coimbra, dia 10 de Maio de 2009.

Terá início às 10:30 horas.


Prémios:

1º Classificado – 400€
2º Classificado – 250€
3º Classificado – 150€

4º Classificado – 100€
5º Classificado – 70€

6º Classificado – 60€

7º Classificado – 50€

8º Classificado – 40€

9º Classificado – 30€

10º até 14º - 20€

15º até 19º – 10€


1º Class. Univ. Coimbra – 20€


Troféu para os 3 primeiros Classificados, primeiras 3 equipas, 1º Vet, 1º Sub 20, 1º Sub 18, 1º Sub 16, 1º Sub 14, 1º Sub 12, 1º Sub 10 e 1º Sub 8.


O torneio será realizado de acordo com o Sistema Suíço de 8 sessões, de 20 min/Jogador.

Os jogadores que não confirmem a sua inscrição até às 10h20, não serão emparceirados na primeira ronda.

É obrigatório a apresentação de um relógio em perfeitas condições de funcionamento por cada
dois jogadores do mesmo clube.
Caso tal não aconteça, não se garante a participação dos
atletas.

Inscrição Simples – 7 €

Universitário – 5 €

Até Sub-18 – 2 €

Sócios da SXAAC com quotas em dia estão isentos.


Contactos para incrições:

Tel.: Secção de Xadrez AAC: 239 410 402

Bruno Pais 917400812

Luís Rodrigues 965771436
E-mail: aac.xadrez@gmail.com


Inscrições limitadas a 140 participantes.

.

sábado, 25 de abril de 2009

35 anos depois

35 anos depois



O investimento no saber, na escola, no exercício dos direitos de cidadania, no culto da tolerância, da compreensão da diversidade, na cultura crítica perante as verdades tão absolutas quanto efémeras.


Trinta e cinco anos depois ainda não estamos de acordo sobre a importância que o 25 de Abril teve nas nossas vidas. Basta ler os textos que ritualisticamente se publicam por altura da efeméride. Desde as evocações iluminadas, como se uma glória absoluta transbordasse desse dia, à persistente denúncia das memórias negras do regime derrubado. Tudo isto misturado com o queixume dos vencidos e embrulhado nas diferentes apropriações que cada um, que cada segmento social e político faz da revolução que, então, modificou as nossas vidas.

É verdade que a História é feita pelos vencedores e a proximidade, ainda tão emotiva, dessa data contribui para que cada um, de alguma forma, usurpe à sua maneira a finalidade última dessa vitória sem vencidos. Paradoxalmente esta usurpação, este lado onde todos se encontram de forma difusa, inconsequente, saudosista, mais fundada na rememoração de emoções do que da divulgação dos valores essenciais que de Abril nasceram, é a primeira causa do desvanecimento da curiosidade dos mais jovens, daqueles que não viveram, que não tem condições para recordar, que estão impossibilitados de assumir um testemunho e uma posição sobre o dia que não conheceram.

Actualmente, mais de metade da população do país nasceu depois do 25 de Abril ou era de tenra idade quando passou o ano de 1974. Daqui por dez anos, mais de dois terços da população viverão a mesma condição. Que teremos nós para lhes dizer hoje? E daqui por dez anos? Como explicaremos a herança democrática que dia após dia vamos construindo, enquanto caminhada iniciada nesse dia?

Sendo certo que testemunhamos, e vivemos, uma degradação permanente dos mitos fundadores, alicerçados na Liberdade, na Igualdade e na Fraternidade, como se em 74 tivessem renascido as utopias geradas duzentos anos antes pela Revolução Francesa, estou em crer que celebrar o 25 de Abril só terá um significado historicista se lhe entregarmos um destino, se lhe colocarmos objectivos comuns a todos os vencedores. O investimento no saber, na escola, no exercício dos direitos de cidadania, no culto da tolerância, da compreensão da diversidade, na cultura crítica perante as verdades tão absolutas quanto efémeras.

Ou atacamos por aqui a necessidade evocativa ou, então, daqui por mais vinte anos, será esta data mais um feriado banal, como se banalizaram outros dias decisivos da história do nosso País. É que António Gedeão tinha razão. O ‘mundo pula e avança/ como bola colorida entre as mãos de uma criança’. Só que, de há vinte anos a esta parte, graças à revolução cibernética, pula e avança a um ritmo que nenhum dos vencedores do 25 de Abril supunha. Acelerámos o tempo, acelerámos o ritmo da vida individual e colectiva a um limite que falta tempo. Para a reflexão, para a comunhão dos afectos. Para cumprir o lado da História que vive no Abril que falta cumprir.Depois de tanto caminho andado, será que resta tempo para o caminho que ainda não cumprimos? Não sei. Daqui por cinquenta anos, os historiadores o dirão. Libertos de paixões. E habitando o tempo dos sábios. O tempo que nos escapa por entre os dedos das mãos.


Francisco Moita Flores